Isel

A cafeteria sob a ponte

Por vários anos,

Tive o prazer de apreciar o aroma e sabor,

Do café tradicionalmente preto,

Sem qualquer tipo de grife,

Ou derivados do Cacau,

Com um visual belo e exótico,

Mas também peculiar.

Com o estabelecimento em seu exterior,

Tomado por Jasmins dos Poetas,

Devido a isso, me fazia sentir num conto de Tolkien.

Sob a direção de uma senhora já de idade.

O café dela era tão forte e bom,

Que me fazia ficar fora da realidade.

Pouco açúcar, pouco açúcar!

Repetidamente ela sempre falava,

Não importa quantas vezes lá,

Eu frequentava.

Lá era minha parada obrigatória,

Antes do trabalho ou da faculdade,

Não importava se era cedo ou tarde.

Até que houve um dia, que a cafeteria não abriu,

E fechada continuou, 

Meses passaram-se.

E o sabor do delicioso,

Porém amargoso,

Nunca mais provei daquele tal café.

Mas a cafeteria reabriu,

Mas sob nova direção,

As belas Jasmins foram substituídas por placas de ACM.

A variedade no cardápio aumentou.

Mas infelizmente a qualidade daquele café.

Se "adoçou".

  • Autor: I$EL (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 25 de Novembro de 2022 00:22
  • Comentário do autor sobre o poema: Uma poesia minha feita sobre a cafeteria dos meus sonhos. E também sobre a forma de café que tenho preferência. Ps: tomo café amargo. Mas não sou psicopata.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:

Comentários3

  • C.Araújo

    Belo poema!!
    .
    tomo café quase todos domigo que posso em uma padaria em minha Cidade. o café é muito gostoso e os freguês e atendentes uma simpatia, toda vez tomo café e escrevo um pequeno texto.

    já outra padaria mais modena sempre que posso passo por lá para tomar um suco de laranjal e comer sanduíche natural.
    lá é mais elite; mais já me rendeu boas histórias burguesas

    • Isel

      Que legal caro poeta. Obrigado por compartilhar isso comigo. Bom dia.

    • Camila Viana

      Ah para Isel ...sou viciada em café... conheço todas as cafeterias da cidade. O café tem um peso afetivo pra mim...

      • Isel

        Hahaha Yeap. Vamos fazer um tour por cafeterias então poetisa. Bom dia.

      • LEIDE FREITAS

        adorei o poema. Adoro café.
        Aprendi a tomar café sem açúcar. Raramente adoço, mas também não sou psicopata....rsrsrsrs

        Até breve!

        • Isel

          Hahahaha Bom saber. Obrigado querida poetisa.



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.