Antonio Luiz

Caminhos de borboletas

eu conheço a flor de partida

e também a flor de chegada

mas nem tudo nas jornadas

então eu sempre improviso

alheio às menores distâncias

apesar do tamanho das asas

que com esforço eu sustento

sem quaisquer preconceitos

meus incontáveis caminhos

 

tal velho e sábio alado poeta

dizia-me isso, uma borboleta

ziguezagueando o seu legado

parecia com o dedo de Deus

grafando um recado perfeito

por trás de suas linhas tortas

o Criador fundido à criatura

não acima de todas as coisas

mas ali, entre aquelas flores

  • Autor: Antonio Luiz (Offline Offline)
  • Publicado: 23 de Novembro de 2022 07:55
  • Categoria: Reflex√£o
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.