Marçal de Oliveira Huoya

Recato

Perto

Não é certo

O que não fraqueja

Não beija

Certamente

Se decerto

Certa não seja

Fosse como fosse

Bafeja seu hálito doce

Tão doce como ainda

Não sei o doce

Que brota linda

Do seu seio

Seja como

Ou como seja sua vontade

E o meio

Vontade a minha

Caminha covarde

Com receio

  • Autor: Vênus (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 9 de Outubro de 2022 20:27
  • Categoria: Amor
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.