Viglio Schneider

Desenrolar-se

Dói resistir, dói soltar, dói sentir,

Dor, que atravanca o fluir da vida

Que se derrama em mim mostrando o que não sou.

 

Dor que gera desconforto,

Que pesa o peito e o viver,

Que dá medo, que enerva nosso ser.

 

Mas que não engana,

Pois também dá ganas

De falar e começar a resolver.

 

Pois é entre a ordem e o caos

Que existe um caminho.

E ali o destino, que é se autoconhecer.

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.