Viglio Schneider

Me encontro

Me encontro em quem gosta de planta, de criança e dançar,

Em quem vive de riso, amigos e sossego,

Em quem canta, abraça e ama,

Me encontro em alguém, por aquilo que já cultivo em mim.

E quando me acho, me vejo e me aproximo,

Tanto de amores, quanto de amigos,

Sendo nós o contínuo abrigo momentâneo do outro,

Enquanto as areias em nossa ampulheta pessoal durar,

Grãos de pessoas viventes por sempre, 

mesmo sabendo da impermanência, 

Que estas demorem ao passar.

E que dure uma vida,

Com a intensidade de sanar uma saudade,

Dia após dia que perdurar.

 

 

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.