Hébron

Saudade sedosa

 

Estão aqui guardados 
Na gibeira, nesse alforge
De couro já surrado 
Caminhos de cada adejo

 

Esse céu enluarado
Estrela cadente me foge
Meu coração estrelado
Pó de um chão sertanejo

 

Sinto saudade daquela terra
De onde eu nunca pisei
Uma saudade sedosa

 

Sedosa do jeito de rosa
Da pétala que não cheirei
Vivo, e apenas sinto que era

Comentários1

  • (ND)

    belos versos, Poeta Hébron, a saudade poetizada faz mais bela a poesia. TOP! Ótimo fim de semana!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.