Vilmar Pereira

Rancho do soturno

Em um lugar preservado da natureza,                                                que ainda demonstra a vivaz pureza  em harmonia com os insetos e os animais,                                                  é o meu ambiente exclusivo de louvor;                                                    onde a flor nasce entre a terra e a rocha,                                                      e cresce e floresce e desabrocha      para ser bela e única e especial,        independente da espécie e da cor.                                                                      `A beira da cachoeira do plácido regato                                                      que faz-me um pouco mais sensato  para amadurecer e pulsar o meu sonho...;                                                  na escalada da vida em transição      `a sombra do rancho do soturno        que exorciso o meu olhar taciturno  com a poesia puritana e explícita      do universo em movimento e evolução.                                                                                                                  Com o vento do tempo do infinito      de ar ameno e mais bucólico              que em qualquer postada estação    sopra a lua, a chuva e o sol;                no céu apinhado de estrelas                que tira-me do mundo melancólico  para nas covas feitas no chão            semeiar o amor, o milho e o girassol.                                                                                 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.