Jonas Teixeira Nery

Vazio penetrante


Aviso de ausência de Jonas Teixeira Nery
NO

Um vazio penetra sorrateiro pela janela semiaberta,

desordenando meus pensamentos, nessa calmaria.

Permaneço estático, diante da noite escura, absorto,

espreitando turbulências, entre pensamentos e desejos.

 

Vem com ele, nessa noite minha desmedida solidão.

Esse vazio profundo, nessas incertezas, entre promessas,

nessa noite tênue, anunciando revelações destoantes,

entre esperanças e passividade surge novos caminhos.

 

Sou amorfo, espectador de meu vazio, nessa minha caminhada.

Tristeza mansa emoldura minhas angústias, torturando-me.

Insondáveis turbilhões compõem essa paisagem desesperançada.

Constato corrosão desses sentimentos, penetrando entre sombras.

 

Destituído de certeza, caminho nessa noite entre medos.

Insondáveis sentimentos perscrutam esse meu quarto.

Resignado, despojo-me dessas lembranças plenas,

lembranças de outrora noite dos nossos desejos torturantes.

 

Agora recolho fragmentos da minha vida insípida, sem emoção.

Recomeçar? Como se não existe mais audácias e lucidez?

Só esse andar claudicante corroendo meus sentidos, espreitando.

Agora só o silêncio dessas noites eternas, desses dias obscuros...

Comentários1

  • Maria dorta

    Boas reflexões porém com um tom obscuro de desvalida e agonia de estar na vida e ve_ lá insípida passando. Momentos de reflexões assim esvazia a dor mas,felizmente tens a poesia para não embarcar em dissabor. Que tua dor fique no poema! Não a deixe submegir_ te!

    • Jonas Teixeira Nery

      Bom dia.
      Boas observações...
      Tudo vale a pena se alma não for pequena.
      Bjs

      • Maria dorta

        Que o dia nosso poeta Pessoa!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.