Edla Marinho

PASSAGEIRA



PASSAGEIRA

Passam-se as horas
Rapidamente
Eu me dou conta, agora
Da pressa que o tempo tem
Em envelhecer a gente

O ontem, em ares de hoje, ainda
Banhado de muita saudade
Num aceno de adeus, se finda
Meu presente atordoado
Já nem sabe o que é verdade

Nessa correria atrevida
Levando, sem deixar- me levar
Remindo o tempo de vida
Vou vivendo os minutos
No exercício de amar

Edla Marinho
21/12/2018

 

Comentários3

  • Maria dorta

    E com teus pendores poéticos,tu sabes deixar o tempo passar e quase sem em ti marcas deixar. Ótimo versejar!

    • Edla Marinho

      Querida Dorta, vindo de ti, um grande incentivo pra continuar meu aprendizado. Grata, de coração. Excelente noite, boa semana, meu abraço!

    • LEIDE FREITAS

      Excelente poema sobre o tempo. A música também é maravilhosa.

      Boa noite e até breve, poeta Edla Marinho!

      • Edla Marinho

        Boa tarde, Leide. Que alegria ler teu comentário só meu poema, fico muito grata pelo incentivo. A música é mesmo especial.
        Excelente noite de domingo e uma feliz semana, meu abraço!

      • Ernane Bernardo

        Belíssimos versos, numa linda reflexão, que seja passageira, e que o tempo nos faça envelhecer lentamente. Boa tarde poetisa Colibri Edla Marinho, abraços poéticos.

        • Edla Marinho

          Poeta Ernane Bernardo, sempre acolho no meu coração teu carinho para com meus singelos versos. Grata por todo o incentivo.
          Tenha uma noite muito abençoada e uma semana próspera em tudo!
          Meu abraço!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.