Edla Marinho

CULPA



 

 

CULPA

 

Tento ainda ver beleza

Entre lágrimas de tristeza
Dos rios que, de mim, nasceram
E que pra o mar correram
Encheu-se lhe as comportas
Num grito de revolta, o mar reclamou:
_ Que culpa tenho se você chorou?

Edla Marinho
22/12/2018

 

Comentários2

  • Pedro de Alma

    Mais uma obra belíssima, obrigado!

    • Edla Marinho

      Respondendo ao seu carinhoso comentário, em atraso, desculpe.
      Sou grata por sua visita a este cantinho de poesias. Uma grande alegria e incentivo a quem deseja aprender a escrever poesia.
      Tenha uma feliz semana, meu abraço!

    • LEIDE FREITAS

      Excelente reflexão. Só entende a dor alheia quem viveu a dor igual.
      Linda música! Não conhecia essa cantora portuguesa, e no entanto, é um fenômeno no mundo musical. Obrigada!

      Boa tarde e até breve!

      • Edla Marinho

        Pois não é, querida? Empatia é sempre o melhor caminho pra sair julgando o próximo, eu penso.
        Grata por sua leitura e comentário em meu cantinho. Feliz noite, meu abraço!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.