Barbara Guimaraes

Greve das letras...

 

Greve das letras...

Elas, as benditas letras, se juntaram  em um  motim,  não  querem mais ser expostas, nem exploradas por pessoas que se dizem poetas...

Não,  não... sem as letras não  nascerão palavras, nem frases, nem pensamentos, nem poesia, nem  nada...

E o poeta vai ficar à  ver navios, boiando na secura...
As letras exigiam que fosse respeitado seu protesto... 
silêncio!
E a poeta precisa respeitar o alfabeto... E silenciar...

Aqui neste poema eu brinco de escrever, boiando no seco, pescando  no vazio, nadando na terra, improvisando neste protesto que a mim foi imposto...

Mas, desculpe, o silêncio  tá me gritando no pé  do ouvido! 

Bárbara Guimarães 
D/A9610 98

  • Autor: Bárbara eu sou (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 27 de Março de 2022 15:57
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:

Comentários2

  • Elfrans Silva

    Taí uma greve que eu apoio. Greve das Letras! Greve das palavras! Tem "supostos" ou "suspeitos" poetas judiando da escrita. Perderam o lirismo da poesia à muito tempo. Preferem atacar os conterrâneos e os que aqui tem boa intenção, com assuntos dos quais estão decepcionados, como se isso lhes rendesse milhares de livros. Lamentável. Digo SIM à essa greve. Abração poetisa Bárbara

    • Barbara Guimaraes

      Rsrsrsrs então! Fica questão! Cada um tem a sua razão ...assim caminha a humanidade... gratidão poeta amigo Elfrans!

    • Izabel civaz

      sábias palavras... amiga poetisa! um grande abraço.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.