Marçal de Oliveira Huoya

Risco

Exceto o amor
São suas regras de sobrevivência 
Escolhas e conveniências
Basta uma cicatriz
Risco que não foi de giz
Indolor
E assim flutua
Toda nua 
Por onde não tem laço 
Foge do abraço 
Cobrindo sua nudez
Se despe 
Mais uma vez
Só para ser admirada
Nunca viu nada tão belo assim 
Olhe, olhe
Olhe para desejar
Olhe pra mim
Olhe pra você 
Olhe o que vai ganhar
Olhe o que vai perder...

Comentários2



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.