Ivan

SOMENTE

 

Tudo o que não posso, sei que posso...

Tudo o que não sei, sei que sei...

Tudo o que não faço, sei que faço...

Tudo o que não falo, sei que falo...

 

Nada calo, tudo eu digo...

Nada sonho, tudo eu sonho...

Nada amo, tudo eu amo...

Nada quero, tudo eu quero...

 

Então do tudo e do nada sou efêmero,

Pois tenho tudo e sou um nada,

Nada tenho e sou tudo...

 

Estar e não estar, sempre estou...

Desejar  e não desejar, sempre desejo,

Por isso apenas sou o que tenho...

 

 

DE  Ivan de Oliveira Melo

 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.