Isabela Fenix

Não consigo superar

Arranco tudo de mim
Coloco nele
E minhas apostas estão altas
Fiz apostas altas
Apostei tudo nele

Oh, grito alto! 

Tudo nele

Fichas
Sou fichas
Me desfiz em fichas para ele
Pedaços para ele
Para ele
E viver nele

E tudo que peço
É que
Não me quebre
Não, não, não me quebre

E mesmo que
Mesmo que me quebre, tudo bem

Tudo bem não está bem. 

E eu
Já estou tão machucada

Acostumada

E eu não consigo superar

Ele

Eu não consigo superar

Ele

Em minha mente
Recortes
Recordações

Dele

E se
Você me escutasse
E se
Me amasse...

Sem pressão
Não
Sem
Pressão

E se
Você me escutasse
E se
Me amasse...

E se você me escutasse cantar
E se minhas letras analisasse
Veria, que, são todas sobre você

É um canto
Canto de choro

E nela me derramo

No piano me desfaço
Refaço

Eco
Derramo...

É sobre essa água embaixo da ponte

É sobre ele

Mmm...e eu não consigo superar

Não
Não
Não consigo superar.

Seu amor

Não consigo

Oh...Deus, Adeus!

Oh...tanto rezo

E para quê?


Se não consigo superar.
Não consigo. 

Comentários2

  • Janderson Shady

    Belo poema com temática de luto amoroso , muitos sofrem desse processo. Obrigado por postar.

  • Maria dorta

    Quando rezas,o espaço vazio ocupas e aos poucos vais te libertando. Esse é o caminho para fortalecer teu ego. Nunca se apequene e siga,escrevendo fazemos uma catarse e aos poucos vamos nos liberando. Tire vantagem desse momento e reverta sua dor em..poemas. Coragem,enfrente!

    • Isabela Fenix

      São apenas escritos ao vento. Eu nunca sinto o que escrevo. Só manípulo. Obrigada pelo comentário! 😉

      • Maria dorta

        O poeta é um fingidor que finge ser dor a dor que realmente sente. Simples assim!

      • 1 comentário mais



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.