Debora Santos

Enganos em vão



Enganos em vão

Não sei qual é a sua intenção, nem me importa saber

Sendo está boa ou não, é melhor nem me dizer

Parece que conheceu enfim, o que quero

E sobre isso, bens sabeis do que gosto e aprecio.

 

Não tente usar minhas apreciações, dissimulando-o em uma delas

Bem sabeis também que nunca foste deste jeito

Dono de várias qualidades serias tu, no entanto, cala-se desde o início.

 

Alguém está me esperando e encontra-se na estrada

E nessa estrada estou a caminho ao seu encontro

Para materializar o amor e multiplicar a felicidade

 

Então irei, não sou para ti, nem tu és para mim.

Até que ponto entendeu sobre mim? Certamente pouco...

Até que ponto continuará nestes enganos em vão? Que não possa acordar...

Por acaso alegrar-te-ei na existência do sofrimento? Certamente sim...


Em tuas mãos tiveste o meu coração, mas tu nunca percebeste o que eu sentia,

Não lamentes por isto, em silêncio, não se engane, fique  assim como está. 

@DéboraSantos

 

 

Comentários3

  • Maria dorta

    Um belo desabafo! Amar é lindo mas,tudo tem limites. Feliz Ano!

    • Debora Santos

      Grata por sua mensagem minha querida! Um Feliz 2022.

    • Sergio Neves

      ...eita!...desabafaste pra valer!...uma bela tentativa de colocar "os pingos nos is" nesse teu imbróglio amoroso...,...se bem que no todo desse teu escrito eu percebi um "chega pra lá" com cara de "chega pra cá"...,...não? // ...gostei da forma da tua escrita... // ...meu carinho, menina.

      • Debora Santos

        Agradecida por suas palavras meu caro!!! sim...!!! é uma mistura de sensações, uma dualidade de sentimentos intensos... Minhas saudações, até breve!

      • Shmuel

        Foi direta no ponto, sem rodeios mandou a real. Mesmo que doa é assim que se s eve agir quando a ausência de sentimentos começa a ser percebida.
        Abraços!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.