Thiago R

Na luz serena dos etéreos círios

Na luz serena dos etéreos círios,

Foste minh'alma pela madrugada,

Onde nos prados desabrocham lírios,

Quando caiam as sombras pela estrada. 

 

Recamado na luz desses delírios,

Olhei-vos em busca das alvoradas,

Como a alma que carrega teus martírios

Pranteando pelas dores já passadas. 

 

Fui seguindo coberto de mistério,

Vós que iluminastes o meu destino,

Solitário como um cemitério...

 

Olha-me com teu olhar de anjo risonho,

Enquanto ouço do passado um sino,

Imerso no silêncio do meu sonho. 

 

Thiago Rodrigues 

 

Comentários3

  • LEIDE FREITAS

    Belíssima poesia ???????

    • Thiago R

      Obrigado.

    • Jucklin Celestino Filho

      Que coisa linda! Um excelente soneto à Álvares de Azevedo e Casimiro de Abreu.
      Meu amigo, fiquei extasiado.
      Li o poema umas três vezes.Muito bonito!
      Parabéns !
      Abraço!

      • Thiago R

        Obrigado pelas sinceras palavras. Um abraço.

      • Shmuel

        ..."Olha-me com teu olhar de anjo risonho"...
        Uma poesia de encantar a alma.
        Bravo!

        • Thiago R

          Obrigado. Boa tarde.



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.