Lemniscata

Noi Soul

da minha própria escuridão
faço nascer a luz
da minha dança
faço fluir o silêncio
do meu pensamento
faço brotar a imagem
da minha quietude
faço nascer a flor
da minha incerteza
faço brotar a fé
da minha virtude
faço fluir o mel
das minhas palavras
deixo escapar o amor

são fios de minh’alma
tecidos com ternura
e lucidez translúcida

costuro as cisões
retoco com brandura
espelhos me refletem
numa visão de afeto
fiando-me tão pura

  • Autor: Noi Soul (Offline Offline)
  • Publicado: 22 de outubro de 2021 11:23
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 31

Comentários2

  • Poesia, Eu Sou iamai

    Uau, que poema d'alma!!!
    Lindo!
    😉

    • Noi Soul

      Gratidão por sua preciosa presença 🙂 Um abraço!

    • LEIDE FREITAS

      Poema belíssimo! Parabéns!

      • Noi Soul

        Gratidão pela apreciação e pela preciosa presença. Um abraço 🙂



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.