Liduina do Nascimento

Tão longe


Aviso de ausência de Liduina do Nascimento
NO

 

 

 

Tão longe

 

Não tem como calar sentimentos, 
são os inevitáveis caminhos
que a alma tem que percorrer, 
às vezes caminhos sem volta, 
alguns, ela precisa esquecer.

Outros não... certos caminhos
são sonhos, quando acordados;
Resta-nos fechar os olhos e sentir, 
a brisa, a calma, resta ouvirmos 
os ventos que vem de tão longe, 
ventos de histórias de amor,
eles vem, para nos contar, 
basta que silencie, para escutar... 

Nessa mágica viagem, 
a alma para, e se encanta, 
sabe onde quer  ficar.

 

Liduina do Nascimento

Comentários1

  • Shmuel

    ..."ventos de histórias de amor"...

    Parabéns, bonita poesia!
    Abraços a poeta, Liduina do Nascimento.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.