Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor]

QUANTA SAUDADE

Quanta saudade, explode em meu coração

De um tempo feliz, que tristeza não tinha não

O carnaval era só alegria, de um povo que cantava com emoção

Lindas marchas, se escutava pelas ruas e pelo salão

 

Serpentinas, sangue do diabo, confetes coloridos pelo chão

Que saudades hoje sinto, e vejo, como este tempo era " bão"

Lança-perfume servia para encantar a brincadeira

Não era usado como droga, esta triste besteira

 

Saudade, dos blocos e os corsos, tão alegres pulando na cidade

Todos cantavam e se divertiam, sem usar de qualquer maldade

Gente fantasiada de palhaço, Arlequim, Colombina, como era lindo

Nós sobre a calçada, cantando, e eles no meio da rua , com tanta felicidade

 

A alegria era geral, tanto rico como pobre, de braços dados no carnaval

Não existia preconceito, de cor, raça, nada, todos se divertindo por igual

Cadê, amigos, este carnaval feliz, porque hoje, tudo é diferente

Somente uma minoria brinca, o resto está tão triste, e tão descrente

 

Só vemos festas em salões, aonde só rico pode entrar

O pobre, já não tem mais vez, nem na rua pode mais pular

Uma casta privilegiada, está podendo, enfim um triste carnaval brincar

Não existe mais alegria pura, só maldade, sacanagem, e gente a brigar

 

Vamos acordar, minha gente, pois a nossa vida acaba tão de repente

Voltemos às coisas boas do passado, cantemos felizes novamente

Vamos voltar aos carnavais de rua, vamos brincar em uma sadia união

Pois assim, todos vamos ser, mais felizes, com mais luz, e amor no coração....

 

Comentários3

  • Junior

    Um alerta importantíssimo nestes tempos de violência e descontinuidade do amor. Aplausos a ti nobre poeta. Um abençoado domingo e uma feliz semana.

  • Shmuel

    Oh, mestre Ary Bueno, também sinto saudades deste tempo dos antigos carnavais. Puxa, que poema bonito!

    Lembra desta música, Ary!!!!
    "Tanto riso,
    Oh! quanta alegria,
    Mais de mil palhaços no salão
    Arlequim está chorando
    Pelo amor da Colombina
    No meio da multidão!"

  • Edla Marinho

    Poeta Ari, gostei de sua viagem ao passado.
    Se carnaval não tenho saudade (não de participar, eu nunca o fiz) mas de tudo que vivi nessa época, parece que tudo tinha mais alegria. Ou será que minha saudade seria apenas de minha juventude?

    Meu abraço!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.