Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor]

POESIA DE UM VELHO....... [[ MINHA HOMENAGEM A TODOS IDOSOS NESTE SEU DIA E MEU TAMBÉM ]]

Veja só como é fácil a rima, minha Maria

No passado, eu não usava tanto, ia

Pois hoje, nada  faço, apenas eu fazia

Já não corro mais, eu...antes corria

 

Antigamente, eu não chorava, só sorria

Não tinha tristeza, somente alegria

Sexo então...quase toda hora queria

Hoje, isto vai se tornando nostalgia

 

Caramba, como a vida se torna agonia

Nem sabemos, se veremos um novo dia

Se bebemos demais, na certa teremos azia

Se comermos então, é uma baita desinteria

 

Creia...que esta situação... eu nunca queria

Se eu pudesse, o tempo... juro que pararia

Não deixava o tempo correr.... e não envelhecia

Seria sempre jovem, fazendo arte e estripulia

 

Talvez, até aqui não estaria, a escrever poesia

O que para alguns, até possa ser uma alegria

Ou para outros, uma tristeza, a página vazia

Sem este poeta louco, a escrever todo dia

 

Assim vou arrastando, esta vida, de tanto ia

Esperando, alegrar, quem me lê, ou que lia

Com carinho, vou seguindo esta minha via

Que me levará, um dia, a encher a tumba vazia.....

 

 

Comentários1

  • Junior

    Aqui a escrita e o lirismo se encontram, eis-me fiel espectador deste encantamento. Enquanto escrevo a lembrança destes versos me fazem pleno, por compreender que provo deste terreno, de comemorar bodas de poesia...pura nostalgia ao reler em plenitude estas pílulas poéticas que em meus ouvidos vertem-se em melodias me despindo de toda consciência cética. Um forte abraço deste leitor que tanto o admira, faltam palavras em meu dicionário de bolso, se fosse este um palco certamente estaria rouco. Aplausos de um apreciador de vossa nobre arte

    • Ary Bueno [ O Príncipe dos poemas e do amor]

      Junior, nem sei como agradecer seus comentários, que recebo como um balsamo, que acalenta a alma, embala o coração, e aquieta minha alma, tão carente, pela solidão em que vivo. Meu muito obrigado.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.