Levy

Inverso

Sentado nessa merda de cadeira

Questiono a cegueira

Das ovelhas inconsequentes que anseiam sexta feira

Foge, bobeira, morre, obedeça

Seja um robo e esvazie sua cabeça.

Ame a empresa, de sua alma por ela

Só pra ser

Outro nome na tabela.

Cartas & luvas

"a culpa é toda sua"

A incompetência continua

Vou direto pro olho da rua

Dois strikes!

Meu Deus mas que alarde!

Não posso nem mais respirar a vontade. 

Nem tenho energia pra rimar o resto

Nem tenho experiência pra dizer que presto

Grito, grito, grito meus pensamentos sem nexo

Ninguém me entende e sei porque

Tô inverso.

  • Autor: Levy (Offline Offline)
  • Publicado: 23 de Setembro de 2021 11:16
  • Categoria: Reflex√£o
  • Visualizações: 4


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.