Sarinhacosta

Cacos de Amor

Frágil e partida

Ela recolheu todos os cacos

De Amor pela casa,

Deixando apenas o silêncio 

Incessante da Solidão.  

 

Sua mente tentava fugir dele,

E vagueava em meio a inexistência 

Mas volta e meia ela falhava

Então, se via atordoada 

por lapsos de declarações, 

dos sorrisos, dos beijos dele, 

Do que foram um dia

E agora deixaram de ser.  

 

Queria gritar

Queria chorar,

Queria sumir,

Mas já estava exausta por

Não conseguir emitir nenhuma reação.

Portanto, se encontrava

Nadando em um 

Vazio fundo e incerto.  

 

Tudo se tornou

Um ponto interrogação,

Indecifrável na sua vida

Que seu rumo era assim: indefinido.  

 

Isso deu origem a dúvida e o medo 

E o que eles eram? Eram dois estiletes 

Finos que penetravam na

Alma dela e gerava um desconforto T

ão grande que ela suava e suava

Tornando assim seus dias

Nublados, estranhos

E insignificantes 

Mais nada.  

(Sara Lacerda)    

Comentários1

  • Poesia, Eu Sou iamai

    Cuirti! Curti! Curti!
    Poema da entrega ao amor, com sua dores e ansiedades 😉



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.