Gisele Cunha

O quintal de Bisa Lina


Aviso de ausência de Gisele Cunha
NO

(Plante uma semente
Respire ar puro, cuide de sua saúde!)

Mine conto( O Quintal de Bisa Lina) 
Em um quintal pequenino uma senhorinha de cabelos grisalhos ensinava seus netinhos(a) a plantarem sementes de hortaliças e verduras, tinha também na frente da casa um jardim lindo com várias espécies de flores. Um dos garotinhos curioso perguntou Vovó porque sempre agente está  em contato com a terra.
Ela com sua imensa sabedoria responde: Meu netinho a terra é uma imensa riqueza natural. Observe que tudo que plantamos colhemos com alegria, é mesmo vovó fico muito feliz quando os frutos crescem, melhor ainda quando conseguimos degusta-los. Fora meu menino que além de ser uma terapia, nós conseguimos comer os frutos sem agrotóxico aquele veneno que já conversamos e as empresas de plantio vasto costumam introduzir para matar os pesticidas e atinge direto a nossa saúde.  Nossa Bisa Lina quanta coisa boa a senhora nós contou agora. Vou querer sempre plantar minha hortinha assim cuidamos da nossa saúde e trazemos ar puro para o ambiente, como é  bom minha Vozinha toda historinha que a Senhora nós conta já gosto de escutar . É muito legal quando aprendemos e colocamos  em prática. Nunca esquecerei seus ensinamentos, te admiro muito Bisa Lina, mora no meu coração. 
Agora mão na terra vamos plantar, para termos uma boa saúde e um espaço cheio do verde da esperança no mundo.
#leiaparaumacriança
Autora: Gisele Cunha

  • Autor: Ninasorriso (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 14 de Setembro de 2021 12:21
  • Comentário do autor sobre o poema: Vamos de historinha infantil, para ensinarmos as nossas crianças a plantarem para colher alimentos saudáveis, purificando também o ar que respiram. #Plante uma semente com sua criança.
  • Categoria: Infantil
  • Visualizações:

Comentários2

  • Barbara Guimaraes

    Muito lindo!

    • Gisele Cunha

      Obrigada pelo carinho. Vamos cultivar saúde.

    • CORASSIS

      Bela historia infantil!
      abraço.

      • Gisele Cunha

        Obrigado CORASSIS! Pelo afeto sempre com meus escritos. Vamos incentivar a leitura dos nossos infantes.



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.