santidarko

A fragrância das lágrimas(A chave do poço Pranto)


---------------------------------------------------------------------
O cinzento-céu,
...com seu preso ventre de chuva-;
...mesmo eu, como um nato andarilho,
andara mais em um dia...
do que meus heroicos pés poderiam  dar-me em um mês de "coragem"----por aí...,a me levar!
---------------------------------------------------------------------------

"Bíos-elétricas",
de  alheios passos em percorridos"ontens"
----na trilha da fazenda:'Fúlgida'.
"Rastros energéticos", que interrogam  os portes-contornos mornos,
"no claustro da calada mente", "no sigilo de uma sombra muda",
quem hei de ser de verdade,

em livres entornos!


Repercute na acinzentada tarde,
o doce descobrir, de qualquer desafio;
o mistério da desdita penada,
em uma história, de uma Alma torturada.


De quem sorveste o sepulcro sonho de negras-asas,
de quem..erguestes o grito;
aflito e, delirante angustiado!

Um mistério contado,
da sina-acaso;


ás incertezas...

...a um confirmado.


O medo,
perolado em Faces,
em testemunhados-enlaces. 



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.