Levy

Careta

Nem da brisa mais...
Será que é culpa dos pais?
Tantos dias iguais, estranhos não normais
Sentado na cadeira, ansio sexta feira
Rima com bebedeira, quebraram minha mesa
Racharam minha cabeça...
Fudido com hora extra. 
Maya é ilusão, larga mão de ser cuzão
Paciência com irmão, poucos tem muitos vão
Finjo que to são, quem sabe sabe que não
Pega meu coração, troco por uns sifrao... 
Rimas pobres super pops
Comem homens, ouça e olhe
Que vontade de um corre, gas tá 7 não é mole
O que acontece? Só pros boy! 
Quem tem muito pede mais
Será que a culpa é mesmo dos pais?
Ou país, tanto faiz
Essas letras são todas iguais
Linhas tortas anormais
Oq tem de tão demais?
HARI OM!
Seu covarde, não faça um alarde
O meu som tu já sabe, só não sabe que tu sabe
Feito o sabiá, voando livre dentre parques
Pode apertar, mas taca no fogo proibido
Sacrifício, sacrilégio, pau no ouvido
Pic, PAC, pou ce morreu ou ainda tá vivo?
Perdido suicídio salve amigos do meu peito 
Será que sou preposição ou só mero sujeito...



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.