MariaLandim

Silêncio



    

Silêncio, quem é você? 
que outrora era poesia... 
E no hoje
vai se instalando na mente... 

tal qual uma serpente... 
vai se acobreando...  
se retorce... 
se enrola.. 
abarca tudo que é vivo 
e,  
com um bote certeiro...
arrebata...
tira o brilho 

transforma em letargia... 
apagando as lembranças.... 
deixando o agora no vácuo... 
o passado se faz hoje...
o hoje  se anuvia.. .
Silêncio...

quem é  você?  
Você... 
que outrora era a inspiração dos poetas... 
Se mostrava todo dia 
na pintura... 
esquecida, mas presente, na parede...
no  bailar de uma nuvem... 
no derramar dourado das tardes... 
na purpurina da noite... 
no balançar de uma rede... até  mesmo, nas manhãs gélidas e frias,... você tinha sua poesia... 
e hoje silêncio... 
você  é pura agonia. 
Silêncio... 
Quem é você!!???

Comentários3

  • Barbara Guimaraes

    Interessante! Adorei! Silêncio! Quem é você? Também quero saber!

    • MariaLandim

      Poetisa barbara Bárbara.
      O silêncio é astuto.
      Se reveste de N indumentárias.
      O duro é descobrir
      Qual?!?
      Obrigadíssima

    • vic andrade

      "O artista é aquele que padece em torno de sua obra". Muitas vezes o silêncio estampado na cara e a folha em branco por dias encobrem um turbilhão de angústias invisíveis. Gostei bastante do poema 🙂

      • MariaLandim

        Realmente. O artista padece em torno de sua obra. Do contrário não se municiaria dos sentimentos apropriados para, tentar, colocar a palavra certa no lugar certo.
        Obga Vic.

      • Edla Marinho

        Bom dia.

        Quem será?
        Só sei que o silêncio, às vezes, me é necessário.
        Meu abraço.

        • MariaLandim

          De fato. Silêncio, por vezes, é som que alenta, por outras, um monstro que devora.
          Obga Edla.



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.