Paulo Roberto Varuzza

Eu amei uma flor


Aviso de ausência de Paulo Roberto Varuzza
NO

Maravilhosa flor solitária no jardim,

Belíssima rosa cor vermelho-carmim,

Que se fechava em botão para não ser beijada

Por nenhum beija-flor,

Nem por mim,

Mas o vento que varria as folhas caídas daquele jardim

Carregava o meu bem-querer até ela

E eu sonhava em acariciar suas pétalas

E a segurar com minhas mãos;

O jardim tinha um pequeno portão,

Que impedia a escuridão da noite de entrar,

Então nele havia sempre luz

E aquela amada e silenciosa rosa

Via meu amor pairando sobre ela

Nas asas de um beija-flor que a queria beijar,

Mas alguém invadiu o jardim e a colheu,

Antes de mim que a queria replantar num vaso

E o colocar no alto de uma estante,

Mas no instante que eu vi que ela não estava mais no jardim

O manto tenebroso e fétido da solidão

Cobriu o meu coração

E a sua ausência mais uma vez nos fez chorar,

Óh rosa solitária e maravilhosa,

Nunca mais vai olhar para mim

Com seus bonitos olhos pintados com o sangue do mel

E onde o entardecer refletia-se,

Nunca mais as suas pétalas vão se abrir para eu beijá-la,

Na estante, o seu lugar e uma vela para a iluminar

Também sentem com tristeza a sua ausência,

Mas no vaso caiu uma semente

E outra roseira nasceu e floresceu

E nova rosa tomou o seu lugar,

Mas na memória da minha mente,

A antiga rosa roubada não está ausente,

Porque eu a amei.

Comentários2

  • Gosth Writer

    Poema simplesmente cativante caro poeta! Parabéns!

  • Ernane Bernardo

    Belo poema, ritmado com uma bela história de amor, aplausos, poeta Paulo Roberto. Forte abraço.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.