PB Almeida

Remendo

Me derreto na forma de seu corpo

E espero me moldar em você

Os anos passam, me sinto velho

E você juvenil

Anseio pelo o que quero

E você nem decidiu

Quero te proteger em meu colo

Transformar sua dor em alivio

Suas lágrimas em sorrisos

E se eu for a agulha que te pinica?

Ou a dúvida que te implica?

Não sou herói nem vilão

Nem terrivelmente mau ou incrivelmente bom

Você me tem tão facilmente

Como um jogo, me vence

E eu digo: Não te ensino.

Me conte todas as histórias de sua vida

Das mais chatas as mais divertidas

Vamos dividir nossas feridas

Costurar nossos remendos

Até que você puxe uma linha

E eu me desfaça em seu pensamento.

 

  • Autor: PB Almeida (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 7 de Junho de 2021 19:27
  • Comentário do autor sobre o poema: Este poema é sobre amor, o começo e (talvez) o fim.
  • Categoria: Amor
  • Visualizações:

Comentários2

  • Shmuel

    Ficou no muito bom! Adoro quando você publica suas poesia. Este poema é denso e dócil.
    Abraços e poetize sempre, poeta PB Almeida.

    • PB Almeida

      Obrigada 🙂

    • lucita

      Quem sai aos seus, não degenera. Leitora assídua e poetisa plena.
      Parabéns. Belíssimo poema!

      • PB Almeida

        Muita obrigada pelo seu comentario 😀



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.