Danilo C. Bussolar

Espírito Espírito-santense

Vejo as garças pela aurora
Gorjeantes a voar;
Eu afoito as vejo agora
Sobre a terra e sobre o mar.

 

Tudo eu vejo em claridade
No teu sólio natural;
Glória, viva a liberdade!
Salve, salve o litoral!

 

O teu fausto não se acaba;
Eu meu deito sobre ti.
Salve, terra capixaba;
Tenro berço em que eu nasci!

 

Tudo eu vejo em claridade
No teu sólio natural;
Glória, viva a liberdade!
Salve, salve o litoral!

 

És o fogo que me invade
Como os risos de um bufão;
Terço nome da Trindade
Que me ferve o coração!

 

Tudo eu vejo em claridade
No teu sólio natural;
Glória, viva a liberdade!
Salve, salve o litoral!

Comentários1

  • Edla Marinho

    Olha que interessante homenagem ao "já meu" Espírito Santo, posto que agora o considero assim, depois de tantas décadas a viver por aqui
    Gostei dos versos!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.