Danilo C. Bussolar

Rosa

Como as rosas que o beija-flor espera,
És para mim a flor mais orvalhada
De uma doce manhã de primavera
Que Deus regara desde a madrugada.

 

E te vi, flor mais linda da biosfera,
Não há rosa, nem ninfa, musa ou fada
Nem há sonho mais doce nem quimera;
O que teus pés alcança... não há nada!

 

Nem o bruto diamante, tão escasso;
E nem mesmo as estrelas lá do espaço
Podem roubar teu mais perfeito lume.

 

Eu fui, outrora, apenas um precito;
Mas agora divago no infinito
Quando sinto o dulçor do teu perfume.

Comentários2

  • Daiana Ferreira

    Muito Bom!

  • Edla Marinho

    Amo sonetos. Sonho que um dia vou aprender essa arte, de verdade.
    Admiro por demais quem o sabe fazer, meu caro sonetista!
    Este soneto está de ler e reler, para cada vez gostar mais. Meus pare, meu abraço!

    • Danilo C. Bussolar

      Agradeço muito! O soneto é uma arte maravilhosa, ele expressa com eloquência a musicalidade tão bela da língua portuguesa. Espero que você consiga em breve!



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.