Chico Lino

RECLAME


Aviso de ausência de Chico Lino
NO

RECLAME

Chico Lino

(Ao Geógrafo, Maestro e amigo Fernando Teixeira

Em memória)

 

Quando enterramos nossos

Mortos sem esperança

De germinação

 

Não fazemos ideia de onde

Ou quando

Ou se o futuro nos trará flores

 

Aí meu coração se aperta

 

Vem caudalosa à tona

A soma de todos os medos

 

Cheia do Rio Doce

Infância

Insegurança

 

Números

Inúmeros

 

Projeções agressivas

Para sempre imperdoáveis

 

Números

 

Quando a vida se nos apresenta

Cada vez mais morte

 

Sentimos tontos

Sentimentos

Tantos

 

Estamos

Somos próximos

Contingentes

Gente

 

“Precisamos de sangue

Qualquer tipo!”

 

É o reclame do Hemocentro

Brasileiro

 

Comentários3

  • Alexxandre Martins

    Parabéns gostei

  • Lauro

    Muito forte! Parabéns

    • Chico Lino

      Valeu, mestre Lauro...

    • Maria dorta

      Essa é a triste,pecaminosa verdade que vivemos em nossa pátria mãe nada gentil!

      • Chico Lino

        Momentos nada gentis pelas plagas brasis...

        Valeu, Dorta



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.