FLORI ANA

Psicose

 

De repente, vozes, vozes... 

Eram amigos, eram lugares       

Estava lá, não estava lá  

 

Comecei a ouvir um ruído de metal  

Estava no corredor de casa             

Vinha um trem em minha direção    

Sai fora da estação                         

 

Avistei uma represa      

seria minha eterna fortaleza

Então me aproximei com ligeireza  

Mas fui advertido por uma duquesa

 

Estava na universidade 

Alguém me chamou de amigo

Não senti veracidade

 

Estava no meu quarto

Escutei meu codinome

Era os meus amigos

Aceitaram sair comigo

 

Afinal estava sonhando, estava acordado?

Havia veracidade?

A realidade ainda é um código...

Comentários3

  • Poesia, Eu Sou iamai

    Poesia psicótica!
    Me lembra o livro Nunca lhe prometi um jardim de rosas.
    Também curto escrever poesias psíquicas.

    Curti!!!!
    Continue sempre colega!!!

    • FLORI ANA

      Muito obrigada!
      Também gosto muito de escrever sobre este tema e que bom que você gostou!

    • Shmuel

      Poesia psicótica e "Psicose". Não sei por que me veio a mente o Norman Bates.
      Goste do texto poetico, poeta, FLORI ANA!

      • FLORI ANA

        Muito obrigada, que bom que você gostou!

      • Shmuel

        Parabéns pelo seu aniversário! Saúde e paz para você poeta, Flori Ana.

        • FLORI ANA

          Muito obrigada!!!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.