Andre Martins de Moura

No Mar do Coração

Olhei as águas rasas da vaidade
E vi meu ego refletido
Procurei lá no fundo a reciprocidade
Mas só encontrei meu egoísmo

 

Eu até tinha amor
Mas só o usei como isca
Pesquei ilusões e dor
E naufraguei numa ilha

 

Preciso aprender a nadar na indiferença
E superar as ondas da desilusão
A solidão foi a minha recompensa
Por ter sido um pirata no mar do coração

Comentários2



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.