santidarko

Phantonomas


Soluças...,peito lutuoso;
com minha Alma a se debater.
Brumosas correntes a se antever,que me prendes em dizeres,
a Terrosos honrosos.
Minhas cruentas asas de cunho jocoso,
toldam ,os arvoredos banhados pela luz Lunar,em ânsia do pecaminoso.


Que o Divino,não escritures mais...,
seus enunciados dedos,sobre minhas penas ferrosas;
ao meu alçar,
em noites umbrosas.


Ao estandal da Aurora,
eis-me,ao teimoso flanco,
pôr-me ao pélago do agora.
Ao seu preceito,que sempre vigora.


Ao escampo do anoitecer,
com o belo castiçal de luzeiros Celestes;
...o embebecer ,em esmo eiras sob meus quisestes.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.