Kevin Rasmussen

TUIN

A gritaria que há na solidão,

é ensurdecedora,
Como se os ouvidos sangrassem
E nada tivesse cura.

Cura existe?
Por que ainda persistem?
Chega, não estamos bem.
Nada faz sentido.

A busca implacável pela felicidade,
Não é mais veracidade,
Insanidade.
Não estamos bem.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.