Helder Duarte

Estrada

Não penseis que sou contra Deus, isso não sou.
Antes em ele, muito eu sempre muito estou...
Não sou nenhum "santinho" de um altar edificado,
e pelos humanos sempre muito adorado !...

Caminho em uma estrada longa, com muitas pedras,
que a meus pés magoam e ferem tanto! Tanto! Tanto!
Que com dificuldade caminho e com muito pranto.
É a estrada de muitas e tantas, caminhantes pessoas.

Caminhantes no meu longo caminhar, até ao fim chegar,
Comigo caminham, mas não me dão a sua mão a me levantar.
Neste caminho em que todos nos devíamos sempre ajudar.

Mas comigo vai o meu guia, que das pedras me desvia,
até que na cidade eu tenha o meu lindo e desejado entrar,
e nela eu cante, uma canção, ao som da música que já se ouvia!

Comentários2

  • Shmuel

    Grande, Hélder Duarte.
    Abraços

  • Helder Duarte

    Muito obrigado. Um abraço!



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.