Maximiliano Skol

A DEUSA SORTE


Aviso de ausência de Maximiliano Skol
NO

Sorte... Mas por qual sorte tu procuras?

Que enigma tens na alma e tanto anseias?

Às vezes, tens desejos e loucuras

Sem saberes do mal ou das cadeias

 

Onde podes achar as amarguras...

Cuidado, sem saber tu cambaleias...

A Sorte é caprichosa, tem ternuras,

Mas possui, igualmente, suas peias.

 

Eu tive muitas ânsias no caminho

Roguei, enfim, da Sorte alguma oferta

Que pudesse servir-me como aninho.

 

Fez um pacto comigo é assim me dava

( Caprichosa que é), na hora certa,

Bem mais do que sonhei e procurava.

 

  • Autor: Maximiliano Skol (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 19 de Setembro de 2020 01:34
  • Categoria: Fábula
  • Visualizações: 36

Comentários1

  • SANTO VANDINHO

    rsrsrsr Reflexivo e divertido poema ! "EUZINHO quero a sorte para acertar um teste principal de qualquer prêmio da Loteria da Caixa Econômica !" rsrsrsrs Paz e bem !

    • Maximiliano Skol

      Muito obrigado pela sua atenção, Santo Vandinho.
      Que a Sorte lhe dê tudo que desejares.
      Dinheiro, Paz e Luz.
      Um abração.



    Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.