Adriele Bernardi

Ah se você soubesse...


Aviso de ausência de Adriele Bernardi
NO



Ah se você soubesse...
Que mergulhava em seus cachos castanhos,
E entre as batidas do relógio fazia uma prece,
Pra qualquer entidade não nos tornar estranhos.
Você nunca saberia que jurava em segredo
O quanto recorria a constelação dos seus olhos...
Sopro de vida, sem um resquício de medo,
Inspirando a lua nas suas fases e modos.
Você também nunca saberia
Que quando o seu cabelo caía no rosto,
E no escuro de seus olhos vivia a luz do dia...
O fôlego evaporava e a alma chorava sem desgosto.
Porque, querido, você talvez não devesse saber
Que sua aura recende a música e poesia,
E seus traços conceituam Monet,
onde cada arte de seu corpo é uma relíquia.
Você foi e será para sempre
A eterna canção que compus sem som,
O quadro que pintei no silêncio da mente,
A musa, o cerne vívido que me traz inspiração.
Quem sabe devesse não te deixar saber
Mas é tarde demais para não se permitir errar.
Mesmo longe, apesar de talvez não te reconhecer...
Em meus sonhos, desesperadamente, amei te amar.


Amando, assim, eternamente na minha similitude,
Prevejo que um dia, seu coração não estará, apenas, batendo.
Certamente ele encontrará um compasso ainda mais rítmico do que o atual...
Loucamente, ele estará vibrando com os afagos que te darei.
Por mais que sonho com isso, sei que meus sonhos, desapontadamente, são apenas sonhos.


Ah se você soubesse também...
Sobre as noites
Que eu dormia
Com a TV ligada
Até de madrugada
Eram tão solitárias
Com você eu descobri
Que talvez o que me faltava
Nessas noites vazias
Era a sua companhia
Seus beijos
Que me percorrem
Sua boca que me engole
Admirando seu corpo
Enquanto a gente se enrosca
Seu olhar pra mim
Enquanto a gente goza
As noites
Que eu durmo agora
Com a TV desligada
Pensando sobre tudo
Pensando sobre nada
Hoje eu esqueci
Como é me sentir sozinho
A cama estava tão quente
E a noite tão curta...
E isso tudo
Foi apenas um sonho?


Se for um sonho então
Que eu não acorde nunca mais
Posso ficar aqui, para sempre
Nesse sonho eterno que me faz iludido.
Ou posso acordar, assustado
E finalmente entender
Que o sonho que achei viver
Era a doce realidade vivida ao lado seu.
Tanto faz, se tenho você comigo,
Seja de que forma for.


Se te tiver ao meu lado
nada mais importa
se o sol hoje não vier
se a lua não brilhar
se a tempestade for maior que tudo
nada me importa
apenas o teu olhar
que percorre minha alma nu

Comentários2

  • umparentese

    Uaaaaaal. Acho que não preciso dizer nada, né? haha

    • Adriele Bernardi

      Nossa trupe é foda cara! haha Participe também. Vai dar um up bacana 🙂

    • Eduardo Vieira

      Palavras que vem de dentro, palavras fortes e sensíveis. Parabéns

      • Adriele Bernardi

        Muitíssimo obrigada.. Os poetas dessa plataforma são muito bons, incluindo vc 😉

        • Eduardo Vieira

          somos todos especiais, assim como vc kkk



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.