Pássaro no Aquário

Vênus

Por tanto tempo, sonhei em voar

E você cortou minhas asas.

 

Eu, um passarinho,

Triste e indefeso.

 

Você era as mãos que me pressionavam.

Seu coração era forte, me parecia proteção.

 

Eu não percebi que você era rude e cruel pra mim.

 

Me prendeu num aquário,

De frente pra sacada da sua casa.

 

Através do vidro, eu olhava o céu

E imaginava que estaria a voar.

 

Eu não conseguia entender o que me prendia,

Eu batia com o bico no vidro toda vez que tentava subir. 

 

Você sorria dizendo que eu era livre.

Parecia um gesto bondoso, agora eu vejo que era uma piada de mal gosto.

 

Só Deus sabe o quanto eu me dediquei a te entender.

Só Deus sabe o quão grande foi meu amor.

 

Os outros passaros não eram interessantes,

Eu só queria suas mãos grandes acariciando minhas penas, por mais brutas que elas fossem.

 

Hoje, minhas asas doem. 

Sinto que elas estiveram quebradas por muito tempo.

Depois de tanto ouvir que no aquário eu estava segura,

Tá sendo difícil desfrutar da liberdade de saber o que quero. 

 

Não imaginávamos que eu cresceria tanto.

Que aquele pequeno passarinho,

Era um filhote de harpia.

 

Que aquela ave indefesa, 

Um dia quebraria o aquário

Com sua própria força

E voaria mais alto

Que aquelas mãos poderiam alcançar.

 

 

  • Autor: Venus (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 10 de fevereiro de 2024 22:05
  • Categoria: Triste
  • Visualizações: 10

Comentários2

  • Shmuel

    Perfeito!
    Um pássaro no aquário, quanta crueldade! Espero que a tortura não evolua para outros bichinhos. Que triste seria ver um peixe na gaiola.

    Abraços?

    Abraços!

    • Vênus

      Verdade, querido poeta. Muito obrigada, grande abraço!!!

    • LEIDE FREITAS

      Uma história para reflexão! Às vezes a prisão vem disfarçada de amor, de cuidado e proteção... é necessário estar atenta para as diferenças, ler nas entrelinhas e romper as barreiras que te impedem de voar...

      Boa noite, cara Vênus e até breve!

      • Vênus

        Exatamente isso, querida poetisa. O amor não dói, não machuca, não nos prende. Eu demorei muito tempo pra entender isso, mas finalmente entendi. Obrigada pelo comentário! Grande abraço!!!



      Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.