UniversođŸ’«đŸŒ»

Como um tsunami


Certas cicatrizes jamais desaparecem; algumas podem atĂ© se tornar menos evidentes na superfĂ­cie, mas persistem na alma e em nossa mente, uma presença inextinguĂ­vel. Às vezes, podemos encontrar alĂ­vio temporĂĄrio, experimentando um breve esquecimento, mas em outros momentos, essas feridas ressurgem como um tsunami, devastando tudo em nosso interior e nos forçando a reviver os momentos que nos destruĂ­ram.
É uma dor avassaladora, especialmente quando reconhecemos que tĂ­nhamos a oportunidade de evitar o impacto, de antever a iminente onda e fugir para longe antes que nos alcançasse. Contudo, ao invĂ©s disso, permanecemos no lugar, suportando o impacto completo. Culpo-me por cada dor e cicatriz que carrego, pois sei que escolhi viver essas experiĂȘncias, optei por nĂŁo correr, apenas fiquei e enfrentei. Hoje, mesmo apĂłs anos, ainda sinto a persistĂȘncia dessa cicatriz, um incĂŽmodo constante.
Essa angĂșstia corroeu-me ao longo dos anos, deixando-me perplexo sobre como poderia dissipar essas imagens dolorosas que continuam a me ferir e perturbar minha mente.

  • Autores: UniversođŸ’«đŸŒ»
  • Visível: Todos os versos
  • Finalizado: 10 de Fevereiro de 2024 02:30
  • Limite: 6 estrofes
  • Convidados: Amigos (usuários da sua lista de amigos podem participar)
  • Categoria: NĂŁo classificado
  • Visualizações: 3


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.