Mão na Mão

Maria dorta

Olhando_te naquele dia, via

tanta pureza e beleza no teu olhar.

Não podia acreditar, mas ouvi 

tua voz dizer " tua mão posso pegar?"

 

Esse respeito e timidez,eram decerto

assinatura de uma alma pura,

que eu nunca tivera por perto.

Nem nunca vira tanta compostura!

 

Ah!Que dia tao deslumbrante tive!

Hoje, lembrando,uma saudade renasce.

Tu já partistes  mas em mim vives!

 

Naquele dia, dei_ te minha mão

Com confiança,senti_ me segura

Entreguei_te meu coração e nele vives

 

Maria Dorta  24_'10'_2023

 

 

 

  • Autor: Maria dorta (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 24 de outubro de 2023 22:45
  • Comentário do autor sobre o poema: Um grande amor nunca morre.
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações: 16

Comentários4

  • Mariany A.N Dutra

    Ah! Que gracinha de poesia! Pureza e leveza no amor, é algo tão precioso!

    Sempre bom ler e apreciar seus escritos poetisa Maria Dorta!!

    Grande abraço, tenha um lindo dia!
    Com carinho, Mary!

    • Maria dorta

      Comovente tua observação. Agradeço teu comentário que é precioso!

    • Dr. Francisco Mello

      Parabéns. Gosto de rima e de métrica. Aprovo e aplaudo. Um soneto a lá Dr. Max e Nelson Medeiros. Chapéu, poetisa querida.

      • Maria dorta

        Rsrs como estou bem acompanhada por esses dois poetas a quem admiro e reverencio. Fico até comovida dr Francisco pela tua observação,sempre escorreita. Gratidão pela leitura e opinião.

      • Antonio Olivio

        Salve Maria Dorta!!
        Quanta sutileza e beleza para falar de amor!!!!

        • Maria dorta

          Gratidão por tua leitura e opinião. Mas para falar de amor tens tu também, a régua e o compasso na mão.

        • LEIDE FREITAS

          Lindo! Lindo!
          Um poema simples e cândido.

          Até breve!



        Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.