Abel Ribeiro

Essência


Aviso de ausência de Abel Ribeiro
NO

A informação me deu uma mão. Filtrei o que queria e comecei a compreender. Saí da aparência para entender e rompi com o cotidiano para viver.
Criticar a tradição ajuda a se libertar, o homem civilizado é muito parado e seus solhos veem apenas o óbvio desalmado. As vezes é um inocente, outras se mente e com sua mente crente aprende a divinizar ilusões tão somente.
Olhe! Se você tá isolado ou magoado, se sentindo mal amado e enjoado, busque no mar ou na montanha encontrar-se consigo mesmo olhando a realidade como ela é. Contra seu infortúnio da fantasia, faça seu legado, podem até dizer que você é louco, mas se corrigir tropeçando é a melhor forma de encontrar pétalas no caminho.


Imagine-se sozinho,
Faz parte da vida o desalinho.
São tantos porvires,
Não vale a pena deixar de sentires
O gosto de cada fruto que vires.
Dores e fantasias são presságios de vida.


Daí entramos no tempo, palavra designada pelo homem, mais difícil de se entender e compreender, mas que não podemos deixar de ver que ele nos faz envelhecer, ter, sofrer, aprender e ver.....
Nesse momento do tempo escrevo. Amanhã talvez? Nessa relação infinita vamos vivendo.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.