O telefone estragado

JOHNNY11



Não faltarão oportunidades
Confia em mim
Eu sei que sentes falta
Daquelas noites sem dormir
Tens a minha palavra
Vais voltar a sentir
Aquelas noites sem dormir
Confia em mim
 
Em confio, sempre te curti, nunca me deste motivos para duvidar de ti
Eu parti teu coração, custa fingir que não mas parti
E a partir daí foi sempre , sempre a cair
As desconfianças começaram a recair sobre mim
As traições, juras em vão é melhor nem referir
Mas foram elas que acabaram por te ferir
Ao ponto de nunca mais voltares a sorrir
Mas mesmo assim tu voltaste a sorrir e aquela ferida por abrir
Se fechou, se enclausurou nesse teu mundo por descobrir
Eu sei, é difícil de atingir
Só quem ama pode sentir
E eu sinto muito por todo mal que te fiz
Se eu pudesse escolher fazia-te a mulher mais feliz do mundo
Confia em mim
Se há eu ainda não vi
Oceano mais profundo
Que o amor que eu sinto por ti
O amor que que eu sinto por ti tem pulso
Respira, está vivo e sabe bem o que diz
Se eu reagi por impulso, e te destruí
Se eu me redimi, então não pode existir
Quem seja, para nos impedir, um ao outro de agir
 
Não faltarão oportunidades
Confia em mim
Eu sei que sentes falta
Daquelas noites sem dormir
Tens a minha palavra
Vais voltar a sentir
Aquelas noites sem dormir
Confia em mim
 
Conduzir um fiat ibiza
Encostar a minha camisa na tua
E ser toda tua a rua que tu moras
Que namoras com tanta ternura
Era o meu maior desejo
Não quero o teu beijo
Já tenho o teu cheiro
E tu tens o meu respeito
O cuspo no espelho
Quando ele traduz preconceito
Eis o meu conselho
Hoje temos o festejo
Preocupa-te com o teu traseiro
É ele que importa em fevereiro
Quando eu lhe pôr as minhas mãos por inteiro
Vais ver que o sentimento é verdadeiro
Que nada vale ter dinheiro
Se não o pudermos aproveitar com espirito aventureiro
 
Não faltarão oportunidades
Confia em mim
Eu sei que sentes falta
Daquelas noites sem dormir
Tens a minha palavra
Vais voltar a sentir
Aquelas noites sem dormir
 
Não sei se estou preparada
Para novas amizades
Vejo-me um pouco parada
Atrás das grades
Enquanto uma gaivota voava
Rumo à liberdade
Eu ficava em casa
 
Só quando já for tarde
Tarde demais, tu vais entender
Que eu sempre te curti
Nunca te quis perder
Será que já perdi?
É isso que tu me vais dizer
 
Não faltarão oportunidades
Confia em mim
Eu sei que sentes falta
Daquelas noites sem dormir
Tens a minha palavra
Vais voltar a sentir
Aquelas noites sem dormir
Confia em mim
 
Não sei se estou preparada
Para novas amizades
Vejo-me um pouco parada
Atrás das grades
Enquanto uma gaivota voava
Rumo à liberdade
Eu ficava à porta da tua casa
  • Autor: JOHNNY11 (Offline Offline)
  • Publicado: 22 de janeiro de 2023 09:42
  • Categoria: Amor
  • Visualizações: 15
  • Usuário favorito deste poema: Edileusa lima.


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.