KeisBlay U.

Uma face do labirinto

Poema - Uma face do labirinto

 

Labirinto! 

Esquadros dentro de pequenas

Peças de um quebra cabeça imenso,

Pertencente a mesma madeira

Do cetro do sábio

 

O labirinto das dimensões 

Além das compreensões

Fúteis da carne humana

Onde animais e insetos

Procriam e infestam

 

Não há dó, não existe interveio,

Faça ou farão, se não gostou

Apenas descubra como sair

"I" até lá pouco importa

A tua expresão ou tato

 

Depois das 9 da noite

Não tem mais a presença da luz

De seu jeito, de teu jeito

Só saia da frente de quem quer passar

Pelo labirinto!

 

Sem reflexo, sem interveio

Aprenda a lutar ou sente

Para sempre onde está

Não nos importamos com sua moral

Se não consegue, sai!

 

Não é pra aceitar, some

Aqui pelo visto não é teu lugar

Se o teu 100% é fraco, cai! 

Aqui não é pra quem quer sobreviver

Não tem ninguém velho parado aqui!

 

Nada disso desde o começo

É por diversão,

O globo inteiro já decidiu seu lado

Morra em vão como sua extensão 

De suas habilidades cruas e incompetentes

 

O despertar não é algo bom 

Mas se aproveita, inexistente sensação

De dever, de missão, de desejo, de vencer, de ser

É pra gritar, de gritar, de tão ruim

O perjúrio do pernicioso é a destruição 

 

Nada a dizer mais, sem pergunta 

Sem assunto, sem morbidez

Deixas-te pela última noite queimar

Enquanto a maré sobe e engolfa

E o amor troca de lado, e te mata

 

Contra o destino não adianta lutar

Desista e se esforça, 

Para que o que possa escolher

Decida o que querer

Sem para sempre se arrepender

  • Autor: KeisBlay U. (Offline Offline)
  • Publicado: 8 de Janeiro de 2023 22:22
  • Categoria: G√≥tico
  • Visualizações: 10


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.