Angel Reis

Por qual motivo?


As memórias que você deixou em minha mente Me perseguem a cada segundo
Me sufocam
Ao ponto de não ter ar para respirar
Mas eu preciso gritar
Gritar o mais alto possível
Com toda a força restante em meus pulmões
Talvez alto o suficiente para você escutar
Mas não tão alto
Para que possa sentir na pele o que restou
Mas eu jamais seria capaz de te deixar sentir
Nem mesmo 1/3 do que me fizesse passar
Porque eu te amo e o amor não machuca.


Para mim o amor que sinto por ti, me faz não querer enxergar a dor que sinto ao te olhar
E relembrar do quão doce o romance contigo pode ter sido.
As memórias são os rastros deixados por você, me fazem não esquecer o quanto errei sobre nós
Deixando migalhas de ingratidão pela doçura do teu coração, este pelo qual não consegui entender antes de te perder.
O perdão talvez eu deva a você...
Só não sei se poderei te dizer em palavras, o quanto me arrependo por não ter aprendido a amar alguém como você!
Sou confusa por não saber, ou melhor destruída por não te entender.
Que no futuro eu olhe nos teus olhos e não sinta culpa de mim e nem de você.

  • Autores: Angel Reis, Êxtase da poesia
  • Visível: Todos os versos
  • Finalizado: 19 de Janeiro de 2023 09:30
  • Limite: 5 estrofes
  • Convidados: Público (qualquer usuário pode participar)
  • Categoria: Perdão
  • Visualizações:
  • Usuário favorito deste poema: Anaaf.


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.