The Observer

As crônicas de Ronogan

Ronogan apenas perguntava, apenas dizia ou afirmava, ninguém o conhecia e por isso ninguém o dava razão
Certa vez andando por lugares que nunca andou encontrou um velho ancião que de pé olhava fixamente para o oceano,nem mesmo o vento de um oceano o fazia ceder a postura,Ronogan então se aproxima e pergunta:
_Porque fica aí parado? O vento não encomoda você?
E o ancião disse
_Nada mais me encomoda,pois descobri,levei uma vida mas descobri.
"O que?" Perguntou ronogan
_Morrer meu jovem! Morrer! A morte é o sentido da vida,o término,vivemos para morrer pois a morte é um estado inevitável ao homem vivo,tudo que passamos aqui só vale apena pois a morte nos roubará tudo um dia,ela é nosso destino, nosso fim,nosso eterno retorno,quando se admite isso a vida se torna melhor.
Ronogan então diz:
_Como consegue? Dar sentido a uma coisa que não tem?
_Do que está falando?
_Falo da morte,morrer não é o sentido da vida,nunca foi,se você morre logo deixa de existir e não se pode atribuir  um "sentido" ao que não exite. A morte é apenas um fato pré-definido da natureza humana,indiferente de tudo,só pode haver então dois caminhos: Ou a vida não tem sentido nenhum ou há sentido na vida mas esse não é a morte.
_ Como consegue dizer isso? Porque é tão pessimista?
_ Se vê pessimismo em minha verdade não está pronto para a aceitar,mas aqui digo a você: "a verdade não tem obrigação de ser aceitavel".

  • Autor: The Observer (Offline Offline)
  • Publicado: 23 de Novembro de 2022 21:33
  • Categoria: Não classificado
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.