Robert Rodrigues Pereira

O tempo


Ó tempo, tú passa derrepende.
Logo, já não se tem mais chance.
Tu é irrefutável, surpreendente.
Quem o fez? Mais não a quem o alcance.
Somos todos tolos olhando o futuro.
E acabamos esquendo o presente.
A vida nos ensina a ser duro.
E vivemos ela inconsequentemente.
No final somos todos iguais queremos sempre algo novo.
Pedimos, conseguirmos! Não vivemos a conquista, e queremos mais.
Essa vida é só de ida.
Voltar? Ninguém volta jamais.
Poema de: Robert Rodrigues Pereira.

  • Autores: RobR.P (Pseudónimo
  • Visível: Versos alternados
  • Finalizado: 19 de Outubro de 2022 01:00
  • Limite: 10 estrofes
  • Convidados: Público (qualquer usuário pode participar)
  • Categoria: Reflexão
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.