Marçal de Oliveira Huoya

A Carta

Traiçoeiros vidros verdes

Vede, sede noviço, viço

Arte e manha

Claros castanhos

Claros cabelos

Tudo muito claro

Num sorriso laço, lasso

Ô Glória!

Ponha tudo num papel e dobre

Sem deixar que nada sobre

De noite escreve melhor

De manhã é o sol, eu só

Tudo esfria e se dissolve

Segredo e medo, é cedo?

Sê-lo tímido, selo intimo

Quão barato custa um segredo

Secreto não será mais amanhã

Um sim ou não

São só medos diferentes

Um não uma decepção

Um sim um acidente

É moço e idade

Ah, tempo tempestade

Ar vento! Ah mar!

  • Autor: Vênus (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 9 de Setembro de 2022 20:34
  • Categoria: Amor
  • Visualizações:


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.