Ashira Saiko

Aguenta Caladinha



Me atrevo a afundar
No limbo viscoso penetrar 
Até conseguir te encontrar
Sobre aquele dia vamos conversar 

Quando sua inocência esmagar 
O estupro teve de enfrentar 
A água quente não pode te limpar
A dor e a humilhação te transformar

Ele disse que ninguém iria acreditar 
Afinal uma criança pode com a verdade faltar 
Uma adolescente quer a atenção chamar 
E uma mulher adulta escolheu na situação se colocar 

Seu coração em um cofre trancar
Foi difícil tentar não lembrar 
Mesmo quando parecia superar 
Os flashs surgiram para te recordar 

A ferida parece que não vai cicatrizar 
Não deixa ninguém se aproximar 
Seu instinto é de se isolar 
Para não mais se machucar 

Mas você deve parar de se culpar
Nada justifica o que teve de enfrentar 
A vergonha e o medo te fazem calar
Mas é agora que deve falar 

Não precisa sozinha enfrentar 
Não é vergonhoso ter que se expressar 
Procure alguém confiável para desabafar 
E um terapeuta para te ajudar a lidar 

Você não é uma estatística a contar 
Ou um segredo a guardar 
Quanto mais a vítima se calar
Mais o abusador vai se aproveitar 

Você é uma guerreira a enfrentar 
Por tantos anos a lutar 
Mais forte do que pode imaginar 
Mais intensa do que pode sonhar

Ninguém pode mergulhar 
Na sua alma para te salvar 
Você mesma precisa se arrastar 
Para fora desse lugar que não deveria estar 

Seu destino é levantar 
Apesar do que teve de enfrentar 
A culpa, o medo e o passado abandonar 
E se permitir libertar

Não reprima sua força milenar 
Quando a solidão vier te assolar 
Lembre-se do exército de mulheres a marchar 
Que o mesmo problema estão a enfrentar. 

Ninguém precisa caladinha aguentar 
Juntas podemos por justiça buscar 
Mesmo que demore a retornar 
Um legado de lutadoras vamos deixar 

 

Instagram @ashirasaiko 
Titok @ashira_saiko 
Wattpad@ashiraguedes 
Blog epigrafe.art.blog

  • Autor: Ashira Saiko (Pseudónimo (Offline Offline)
  • Publicado: 21 de Agosto de 2022 18:56
  • Categoria: Reflex√£o
  • Visualizações: 16


Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.