EAVIEIRA

DOCE AMORES

ABRACEI MINHAS MEMÓRIAS

E LEMBREI-ME DE MEUS AMORES

TANTOS DESEJADOS, TANTOS ESQUECIDOS

AMORES QUE BUSQUEI, OUTROS QUE ME BUSCARAM

AMORES LOUCOS, DESENFREADOS

OUTROS SERENOS ; PACÍFICOS ; POÉTICOS

AMORES QUE SE ETERNIZARAM, ENQUANTO VIVO

ALGUNS VELOZES QUE NÃO DEIXARAM

NEM SEUS PERFUMES

MAS ATÉ ESTES EU AMEI

ABRACEI TÃO FORTE QUE PUDE SENTIR

O PULSAR DE CADA UM EM MEU PEITO

ALGUNS AINDA MUITO FORTE,

OUTROS NO CANTINHO, MEIO SEM JEITO

MAS TODOS ESTÃO AINDA GUARDADOS

TRAZENDO UM FIO DE POESIA

SUSURRANDO FRASES TALVEZ ESQUECIDAS

MAS QUE CONTINUAM GRITANDO AOS CORAÇÕES

DE QUEM DESEJA CONTINUAR ESCREVENDO

A DOCE DOR DE SE AMAR.



Para poder comentar e avaliar este poema, deve estar registrado. Registrar aqui ou se você já está registrado, login aqui.